Práticas educativas estéticas, digitais, lúdicas e ambientais

A Ponte propõe como objetivo do trabalho que se revela:

Desenvolver

Desenvolver práticas educativas, promovendo o acompanhamento pedagógico das tarefas escolares, visando a educação integral em aprendizagens significativas, com autonomia, prudência, responsabilidade, verdade e tolerância.

A proposta pedagógica se configura em:

Partilhar

Partilhar as vivências na descoberta das experiências, em uma educação inclusiva, na valorização ética e estética, respeitando cada sujeito em sua singularidade.

Realizar

Realizar práticas educativas digitais; estéticas; lúdicas e criativas; no exercício da consciência corporal, em contato com a natureza, despertando o gosto pela pesquisa.

Fomentar

Fomentar um olhar mais alargado na forma de pensar o universo que nos cerca, assim, por meio da fruição, produção, composição, programação, interpretação e performances criativas, com contextualização, pesquisa e técnica.

“Brincar é mais que uma aula, é uma prova de construção e reconstrução do que se imagina.”

Brincar é o maior dever de todas as crianças

Brincar com amigos é muito mais que perder tempo esperando sentado, acomodado em uma cadeira! Na verdade, a cadeira só atrapalha o crescimento do corpo da criança, além da imaginação, criação e interação que acontece em círculos formadores de produção criativa, por meio do diálogo. Brincar é fazer diferente, trabalhar a ideia de negociar as regras e interagir com diferentes personagens. É aprender a ouvir a si e ao outro. Isso tudo, envolve resolver problemas, desenvolver habilidades do pensamento, fomentando a intuição e crescimento da autonomia e solidariedade.

A Ponte apresenta como princípios orientadores para a organização do ambiente educativo, uma formação integral, sistêmica, orgânica, humana. A Ponte ateliê educativo assume práticas que traçam perspectivas inovadoras, inclusivas e criativas, promovendo o lúdico, poético e imaginário. Gravita em aprendizagens de novos saberes, propiciando o acompanhamento pedagógico das tarefas escolares, na abertura da discussão entre pares.
Os educandos são incentivados a dialogar e participar coletivamente das decisões. Se desdobra no acompanhamento pedagógico e fomento de práticas educativas significativas. Culmina em proposições socializadoras, quando a mediação dos educadores se dá como estimuladora.
Nesse contexto, a mediação educadora, presencial, é fundamental em torno das experiências, dificuldades e oportunidades, assumindo direitos e exigindo responsabilidades, no exercício do reforço positivo e firmeza na abordagem participativa, em metas compartilhadas na unicidade da prática consistente em um ambiente atraente, com regras de disciplina claras e consensuais.
Desse modo, atua em vivências lúdicas, éticas e estéticas, em interação com as novas tecnologias, no exercício consciência corporal e contato com a natureza. Desdobra-se na elaboração e concretização das estratégias pedagógicas criativas, fundamentadas no estudo das teorias pedagógicas e as novas tendências, para que contribuam na construção e reconstrução do conhecimento e na compreensão de um processo contínuo e reflexivo de avaliação.

Fundamentação Teórica

As práticas educativas desenvolvidas na proposta pedagógica A Ponte ateliê educativo, buscam significar a experiência, gerando possibilidades de elaboração criativa, na percepção da diversidade dos signos, como uma reflexão na ação em relação ao meio social, afetivo e ambiental. Fusari & Ferraz (1993), elucidam que conhecer as imagens, significa alargar as possibilidades com a realidade; em ver mais e perceber mais.
Papert (2008) apresentava ressalvas quanto à eficácia de uma educação passiva, apontando que faltava o uso de ferramentas para criação de novos métodos capazes de fomentar na prática educativa a experiência, cujo orientador teria como foco a figura do aluno. Nessa perspectiva, visa-se produzir a própria história, em desconstrução e reconstrução do universo perceptível, de modo simbólico, dando importância a fantasia e ao imaginário dos sonhos, desejos, ideias, imagens e fantasias (MORIN).
As imagens são reflexos do que somos e daquilo que de alguma forma conhecemos, e nesta perspectiva promovem novas conexões na compreensão da realidade. Conforme ilustra Edwards (2005), sobre a habilidade do pensamento formal na reflexão sobre o próprio pensamento, o que garante interpretar, é um tipo de ação através da imagem que pode ser compreendido como a capacidade de perceber sob uma nova ótica, possibilidades de novas combinações.
Tendemos a vislumbrar o que esperamos enxergar ou o que pensamos ter identificado. Esta expectativa, ou decisão, entretanto, costuma não ser um processo questionador, de modo consciente. Para Fayga Ostrower (2004), a intuição não é um instinto, mas gravita na órbita da razão e adquire forma na expressão criativa. Significa que a experiência estética não é uma indução, é um ato de descoberta.
Desse modo, a atividade da imaginação é uma capacidade de abstrair dos sentidos toda a sensibilidade. Morin (2000), situa esta questão, ao chamar a fantasia e o imaginário, capaz de trazer à cena da aprendizagem a dimensão desejante, em conexão com as subjetividades. O conhecimento construído é um processo intelectual. No entanto, é também intuitivo na construção da percepção social, cultural e da história. Assim, as ciências e as artes se fundem na descoberta e criação intuitiva.

Infraestrutura

Brinquedoteca, Sala de Estudos, Sala de Robótica Educativa, Sala de Teatro, Sala de Psicomotricidade, Ateliê de artes, Jardim, Horta e Espaço Arvorismo.

Recursos Humanos Educadores: Artes (musicalização, teatro e artes visuais), horta, culinária, Psicomotricidade e Consciência Corporal, Robótica educativa, Acompanhamento Pedagógico e Jogos Pedagógicos.

Referências: BRICHTA, Simone de Fátima. Juventudes em Diálogo: práticas educativas digitais e tessituras imagéticas. Universidade Federal do Ceará. 693 fls. Fortaleza, 2015.
Simone Brichta

Simone Brichta

Diretora Pedagógica - A Ponte - Ateliê Educativo. Mestre em Educação Brasileira - UFC. Especialista em Metodologias do Ensino das Artes - UECE. Especialista em Gestão Escolar - UFC. Psicopedagoga - UFC. Pedagoga - PUCPR.

Leave a Reply

Contato
(41) 99275-8932
(41) 3043-0372
contato@apontee.com.br

Endereço
Rua Carlos Augusto Cornelsen, 252
Bom Retiro/Boa Vista.
Curitiba-PR. CEP 80520-560.

A Ponte - Ateliê Educativo ® 2019